#170016 Resposta

Rui David

A questão da proibição de alimentar pombos nas cidades deve-se ao facto de eles se reproduzirem  muito rapidamente.
Os pombos, nos locais urbanos, acabam por criar problemas de difícil solução ao nidificarem nos beirais dos prédios e monumentos; isto nem levantava grandes problemas se não fosse a questão dos seus dejectos serem muito corrosivos e danificarem os sítios onde caem, para além de entupirem os algerozes e danificarem a pintura dos prédios. Os pombos, quando não tratados, podem ser portadores de salmonelas e de parasitoses, razões porque a sua reprodução nas zonas urbanas não deve ser incentivada. Em muitos monumentos, entre os quais no mosteiro dos Jerónimos, tiveram que colocar repelente de protecção para afastar os pombos. Acresce que é muito difícil afastar os pombos dos locais onde nidificam.

Por outro lado, se a pomba já pôs os ovos seria desumano destruir uma família; os pombos demoram cerca de 17 ou 18 dias para sair do ovo e depois apenas cerca de 3 semanas mais para aprenderem a voar e tudo o que precisam para abandonarem o ninho. Tendo isto em conta, é de tentar sensibilizar o vizinho a deixarem esta geração desenvolver-se e logo que os borrachinhos saibam voar, então retire os ninhos e limpe o local, para que a fêmea procure outro local de nidificação.