#170041 Resposta

PA

Há que entender que certas pessoas odeiam quem protege os animais, como se o desejável para o mundo fosse o oposto… E ainda que a maior parte das pessoas vive de modo disfuncional, entupida de calmantes e a cultivar quezílias. Logo, um animal que faz barulho na casa vizinha é um bom motivo para libertar o veneno que as corrói. Regra geral só lhes parece mal o barulho dos outros e se arranjarem uma hipótese de se intrometerem, vão aproveitá-la logo. Não me surpreende também que tentem inquietar o bicho, porque eu própria passei por uma situação dessas com outro cão, dado ao sossego e à socialização tranquila. Mudei para outro apartamento para fazer obras e, aí, o vizinho de cima saía de propósito à varanda para fazer ruídos, gestos, ameaças que incomodassem o cão. Ia conseguindo, e a seguir vinha queixar-se de barulho (às 10 da manhã). O cão, felizmente, ia obedecendo quando o chamávamos e a situação foi transitória. Depois, são os cães que são pouco educados, malucos ou o que for… Com latidos, coitados, não vão longe na própria defesa.  Nada a fazer, quanto a isso…

Quanto a soluções, tenho atualmente um cão que faz barulho e tenho também de resolver o problema. Sei que há coleiras anti-latido – uma que dá choque e outra que só emite sons desagradáveis para o cão. Vou experimentar a última, porque não me parece bem utilizar nada agressivo para o animal. Desconheço se são 100% eficazes. Estão à venda na Kiwoko. E há apitos ultra-sónicos e comandos que fazem ruídos que só os cães ouvem e os inibem. Além disso, há treinadores, mas fica caro e exige tempo também.

É ir tentando soluções e tendo paciência. Quem mais a exige, se o cão se os vizinhos, cada um ajuizará pelo seu caso.