#171789 Resposta

Maria José Martins

Boas, hoje fui abordada e de certa forma “ameaçada” por alimentar uma matilha de rua, saliento que já não é a primeira vez que isto acontece e pela mesma pessoa. O senhor em questão até mostrou-me uma pedra que tinha na mão para atirar aos cães. Afirma que os cães costumam investi-lo, é o único a se queixar, os cães já estão naquela zona há mais de um ano e nunca ninguém foi mordido nem se queixou, ladrar sei que ladram para certas pessoas e por vezes vão atrás dos carros , das bicicletas e de motas, mas nunca aconteceu nada que seja do meu conhecimento.

Existem várias associações , protetores de animais e até uma engenheira da câmara local, que têm conhecimento que eu  alimento aqueles cães errantes, também tenho conhecimento que há mais pessoas a alimentá-los com menos frequência do que eu.

Acho eu que o facto de alimentá-los não faz de mim dona nem responsável pelos atitudes dos canídeos, o senhor em questão e  em tom autoritário exige que eu não deite comida aos animais, pois deve acreditar que os cães irão para outro lado, mas esquece-se que aquele local costuma  ser famoso pelo abandono. Segundo o dito senhor eu serei responsável pelo quer que lhe aconteça de mau.

As pessoas aqui na Madeira são muito mal formadas a nível de valores, mentalidades e na relação com os animais  do meio envolvente, é uma vergonha o número de animais errantes e de abandonos, para quem se afirma  povo superior.

 

Será que me podem esclarecer sobre este assunto, pois pretendo obter alguma informação para depois saber como agir.

Obrigado.