#172041 Resposta

Rui David

Penso que a questão é assumir os animais de companhia como fazendo parte da família e como tal não permitir que um arrendamento seja feito com base num preconceito. Uma pessoa que decide arrendar a sua casa, não pode recusar pessoas de determinada raça, ou pessoas que tenham filhos, ou que toquem instrumentos musicais. Do mesmo modo, com a nova lei, não pode recusar uma pessoa ou família porque tem animais de companhia. A responsabilidade e o bom senso pede-se a todos e se as regras básicas de convivência se cumprirem, esta nova lei é de aplaudir.