#172797 Resposta

João Pereira

É normal que quando se comenta algo relacionado com sentimentos, a conversa descame!
Sou um defensor dos direitos dos animais, mas nunca estes devem ultrapassar os daqueles que criam!
Vejamos,
O Sr. Robert, apesar do mau português, não deixa de fazer sentido! Os animais errantes, são responsáveis por diversos danos materiais, já fui vitima. Para minimizar esses danos, na minha opinião, as associações de proteção dos animais, desde que legais, deveriam ser obrigadas a ter um seguro de responsabilidade civil para cobrir os danos causados pelos que estão sobre a sua alçada. Desde o momento em que vacinam, desparasitam e alimentam, deveriam implementar um chip no animal onde identificasse a associação responsável pelo mesmo. Criam-se direitos mas com eles deveres. É moda a proliferação de associação e defensores dos direitos do animais, e não me julguem insensível, mas os milhares de euros gastos na alimentação e tratamento, deveriam ser canalizados para associações de apoio às vítimas, de crianças desprotegidas, entre outras. Nunca ninguém me irá convencer que a vida de um animal irracional vale tanto como a de um ser humano! O nascimento de matilhas e “gatilhas” ajudam na proliferação de doenças, algumas que põem em risco a saúde pública.
Mas, aos defensores dos animais, (também o sou qb), qual a razão de se alimentarem pombos, cães e gatos, e não o fazerem a ratos, ratazanas e baratas? A vida de um cão vale mais do que a de um rato? A pomba é mais importante que uma barata? “Não são todos iguais?”
Se há tantos defensores de animais, porquê que cada um não adota um dezena deles? Com tanta gente, acabariam os animais abandonados, errantes.
Em relação aos “animais de duas patas”, sim Ana Fonseca, são piores do que alguns de quatro patas! Mas, se um de duas for apanhado a destruir propriedade de outro existem lugares para se reclamarem os danos, locais onde apresentar queixa! E se for um cão a urinar numa roda? Atira-se uma pedra? Se for um gato a espreguiçar-se e a passar a unha no capot de um carro? Perguntamos onde quer pagar a reparação?
Tudo deve ser feito em lugar certo, na medida certa!
Mas entristece-me  ver que no meu Portugal, preocupam-se mais com animais errantes do que com seres humanos!