#178040 Resposta

M. Barros

Os animais têm direitos mas os humanos também os têm; há mecanismos camarários que podem dar apoio a quem se preocupa com a sobrevivência dos animais errantes, sem prejudicarem a propriedade dos outros; quem dá de comer aos animais de rua não se preocupa se estão doentes, se devem ou não ser castrados, se prejudicam terceiros, nem se preocupam em dar um lar a esses animais; dar fortuitamente de comer aos gatos sem se preocuparem onde dormem e sem se preocuparem em adotá-los parece-me mais uma farsa e um modo de azucrinarem quem se queixa porque tem os jardins infestados de pulgas, de urina e de fezes de gato; não se preocupa se as eventuais doenças desses animais errantes podem contaminar outros animais domésticos; não se preocupa se dormem em anexos privados apodrecendo armários e portas onde urinam deixando um cheiro nauseabundo; quem paga os estragos? quem assume a doença de um animal doméstico com dono, provocada pela contaminação dos animais errantes; criticam quem se opõe mas não criticam quem falsamente se preocupa com esses animais e não lhes dá um lar….há legislação camarária que proíbe dar de comer a animais errantes ou a pombos sobe pena de estarem sujeitos a coimas e há também a Portaria 146/2017 mais propriamente a partir do artigo 9º. Não se esqueçam que esses animais não podem prejudicar animais pessoas e bens privados….