#179074 Resposta

Pedro Meireles

<span style=”text-decoration: underline;”>Boa noite. Tenho 3 cães, vivo em zona rural/florestal, e infelizmente é recorrente aparecerem por aqui cães perdidos, abandonados, errantes. Aliás, os 3 apareceram por cá e decidimos adota-los. A verdade é que os meus cães acabam por afugentar outros que por aqui cruzam o seu caminho. Há quase 1 ano, um cão apareceu cá, e tanto quis ficar por cá que os 3 o atacaram, e ao tentar escapar partiu uma perna. Por muito que tentasse chegar-me a ele para o ajudar e levar ao veterinário, fugiu sempre. O mínimo que podia fazer era deixar-lhe comida, mas nem o conseguia ver comer, andava por cá, mas sempre escondido. A perna acabou por cicatrizar, e voltei a tentar conquistar a confiança dele, mas só quando passeio com a minha cadela é que ele se aproxima. Cheguei a pedir à veterinária dos meus cães para o vacinar, mas segundo me disse, os veterinários estão proibidos de vacinar cães sem chip. Como não conseguia ter certeza de que conseguiria domestica-lo, não ia assumir a responsabilidade de o registar. Até porque por vezes desaparece durante semanas. Aliás, os terrenos onde vivo não estão completamente vedados, não poderia garantir que tudo correria bem.Os meses foram passando e sempre que passeava a minha cadela, ele aparecia e acompanha os passeios. Ele ladra muito e põe um ar agressivo com outras pessoas apenas quando anda comigo e com a cadela, caso contrário foge e nunca mordeu ninguém. Claro que todos os vizinhos dizem que o cão é meu, e eu gosto dele, não nego que tenho andado a vedar tudo para um dia poder controlar o raio de acção dele e poder com certeza tratar plenamente dele. Acontece que hoje, num dos passeios, cruzamo-nos com costume com uma vizinha, lavrou, lavrou e bateu-lhe com o nariz no rabo, literalmente. Faz isso a mim, ao meu pai, perfeitamente inofensivo. A vizinha nem disse nada, apenas lhe atirou com um resto de fruta que vinha a comer. Mais nada, nem aí, nem ui. Segui viagem e passado 2 horas aparece-me a GNR e marido da vizinha quando estava nuns terrenos meus, vedados, a dizer que o cão a tinha mordido, que estava a chorar em casa, que ia às urgências. Tendo o cão estado sempre comigo, e não tendo mordido ninguém, como proceder? Que hei-de fazer? A GNR queria levá-lo para o canil. Expliquei toda a situação, que nem trela conseguia colocar no cão (e tentei em frente ao GNR para ele assistir). Mesmo assim, chamou o canil, que claro que não conseguiu. O cão fugiu, a GNR identificou-me e foram todos embora. Disseram para prender o cão quando ele voltar e para ligar à GNR para o levarem para o canil, para quarentena. O cão ainda não regressou desde então. Talvez amanhã de manhã regresse. Que posso fazer para ajudar o cão? Até onde pode a situação evoluir? A vizinha não tem de provar que foi aquele cão que a mordeu?? Ele esteve sempre comigo!! E a mim, o que podem exigir?? Estou mesmo perdido e angustiado com tudo isto… Por favor, orientem-me, aconselham-me. Obrigado</span>