A visualizar 5 respostas da conversa
  • Autor
    Artigos
    • #167773 Responder
      manuela
      Convidado

      Boa tarde,

      Segundo a lei se um cão atacar uma pessoa ou outro cão/animal é considerado perigoso, de acordo com a dimensão da lesão e deve andar com açaime ou pela trela se não for raça potencialmente perigosa, etc, etc, etc,…

      isto a propósito de nem eu, nem outras pessoas das redondezas termos descanso sempre que vamos passear o nosso cão à rua.

      No caso é um boxer que sempre que pode tenta atacar cães/cadelas pequenos. após ouvir várias histórias de vizinhos, de quem eu acredito em absoluto, ontem estava no jardim com o meu cão (pesa 3,500 kg e tem 16 anos) e aparece disparado o dito cujo, mais uma cadela boxer e mais atrás aparece um indivíduo (não é o dono, ou é familiar ou amigo) com um terceiro cão pela trela. os outros 2 tem trela, mas andam à solta.

      só tive tempo de pegar no meu ao colo e virar-me de costas e o boxer bateu-me com os dentes no meu braço. tal como os outros vizinhos, não apresento queixa por medo do dono dos cães, pois temos a certeza que vamos ter represálias. só se afastou, porque o indivíduo se dirigiu a ele e agarrou-lhe a coleira.

      já tinha apanhado 2 sustos em situações semelhantes e o dono passa ao lado e pede desculpa. ontem pediram desculpa. o que me vai adiantar as desculpas se me matam o meu grande amigo? eu sei que o meu ladra por vezes a cães grandes (não a todos), após ter sido mordido por outro e eu ter pegado nele ao colo. ele associa a ideia de perigo quando pego nele ao colo e por isso passou a ladrar, mas é a única forma que tenho de o proteger, pois é um cão idoso e já tem problemas de visão e locomoção.

      tanto quanto sei, este boxer não ataca pessoas, mas já mordeu em 2 situações diferentes, 2 donos de cães, porque pegaram neles ao colo e ele acabou por os magoar a um no braço e a outra na virilha).

      que outra forma temos de proteger os nossos animais? e de não nos incomodarmos com pessoas que não cumprem a lei?

      atenciosamente

       

    • #167792 Responder
      Rui David
      Convidado

      Boa tarde

      Compreendo que, muitas vezes, as pessoas não apresentam queixa com medo de represálias e é exactamente com isso que contam muitos daqueles que insistem em não cumprir a lei; mas é a única maneira legal de resolver os problemas.

      Quando se faz uma queixa às autoridades policiais, podemos sempre pedir que a nossa identificação não seja dada à pessoa contra quem a queixa é feita; outra forma de nos protegermos é fazendo uma queixa assinada por várias pessoas, vizinhos, que também se sintam lesados.

    • #171358 Responder
      Vania
      Convidado

      Boa noite, gostava que me dessem uma ideia. O meu cão que se encontrava dentro da minha propriedade e é um cão arracado de lavrador e Castro laboreiro, e por não se dar bem com outros cães, encontrava-se no pátio e um cão bebe fugiu ao dono e foi meter o focinho no meu portão e o meu cão apanhou-lhe um pouco da cabeça, nada grave nem preocupante. Os donos exigiram que eu pagasse tudo mas na verdade ninguém viu nada, até porque não se encontra ninguém em casa e só o queixante é que viu. Ele chamou a polícia e fez participação e o meu cão teve que ir para quarentena, mas a verdade é que não há provas de nada, nem no meu pátio havia um pingo de sangue. Gostaria de saber até que ponto isto é possível? Quando o meu estava no canto dele e o outro por negligência dos donos fugiu e sendo pequenino foi lá cheira. Podem-me dar “umas luzes”?

    • #171675 Responder
      Maria Eduarda Pinho Pinto Ribeiro
      Convidado

      Boa noite!

      Hoje o meu filho levou cmo habitualmente o nosso cão á rua. Quando retornava  a casa e abria o portão do condomimio um sr ( nao sei se vizinho ou nao) ia a sair. Levava consigo 1 guarda chuva fechado. O cão reagiu e saltou lh ( nao o ferindo nem ladrando) tendo sido imediatamente condicionado. Sendo 1 cão de grande porte mas nao pertencendo a lista de caes perigosos temos extremo cuidado e responsabilidade e fazemos formação semanalmente. O dito sr reagiu miuto mal e disse que iria chamar GNR e que tinha uma arma e que mataria o cão  ( entre outras coisas). Enquanto  este episódio decorria o cão   manteve ve quieto e sossegado nao reagindo. Eu pergunto é considerado um ataque? Que posso fazer?

      Obrigada.

       

      • #171683 Responder
        Rui David
        Convidado

        Se não houve ferimentos ou danos causados, se não houver situações perigosas no passado, em caso de envolvimento das autoridades, creio que não terá problemas. Quanto a questão da ameaça de morte, ainda mais com uma arma, isso já por si é um crime e como tal, pode, se entender que a ameaça pode ser real, apresentar uma queixa nas autoridades policiais da zona.

      • #177091 Responder
        Mariana Leitão
        Convidado

        Boa tarde,

        Há cerca de um ano e meio, resgatei um cão de rua e vendo depois que ninguém o reclamava acabei por ficar com ele. Já tinha outra cadela que o recebeu muito bem e eles dão se lindamente. Ele agora tem cerca de 2 anos e anda a reagir mal com outros cães (machos). A minha irmã tem um labrador com a mesma idade, estão habituados a estar juntos mas o meu está sempre com um ar altivo,começa a rosnar e a fazer frente. Há uns dias resultou numa luta e em ferimentos que poderiam ser mais graves. Também na praia aconteceu o mesmo com outro cão, começou a rosnar e o outro virou-se e  voltou a ficar ferido e a ferir também o outro (nada de grave). É uma situação chata, mas ele era tão dócil e sociável não sei o porquê desta paranóia agora. Ele é arraçado de labrador. Espero que me consiga ajudar, obrigada!

      • #177093 Responder
        Rui David
        Convidado

        Podem haver várias razões para estas alterações de comportamento, desde problemas físicos a comportamentais. Cada caso é um caso e o melhor a fazer é leva-lo a uma consulta veterinária para fazer uma análise geral a saúde e se não houver nenhum problema físico que explique esses sintomas,então leva-lo a uma consulta de comportamento animal, nomeadamente numa escola de educação canina.

    • #173124 Responder
      Margarida Coelho
      Convidado

      Boa noite,

      Na passada 4ª feira, ao passear os meus cães num bosque junto à minha casa, um dos meus cães foi violentamente atacado por outro cão. Esse cão, tal como os meus andava, como de costume a passear, solto.

      Ao falar com o dono do cão, este afirmou que o dele, um galgo, é  mau e costuma atirar-se aos outros machos. O cão dele, voltou sem qualquer ferimento, aproveitando que eu e o meu marido estávamos desesperados à procura do nosso cão, o homem foi-se embora com a sua matilha (3 galgos e 2 podengos) sem deixar o contacto ou sem querer saber como estava o nosso. Como é que alguém que sabe que tem um cão mau, que ataca os outros, anda com o animal solto e sem açaime?

      Fomos encontrar o nosso cão à porta de casa todo cheio de feridas, a tremer de medo. De imediato seguimos para o veterinário onde percebemos a dimensão das lesões, teve de levar vários pontos e até o anus lhe perfurou. Na GNR dizem-nos que para apresentar queixa teremos de ser nós a localizar o indivíduo e que teremos de arcar também com uma coima porque nem num bosque os animais podem andar sem trela, ainda que sejam dóceis e precisem de correr um pouco. Nenhum dos meus outros cães se envolveu, o que ilustra bem como são pacíficos. Há algo mais que eu possa fazer?

      • #173144 Responder
        Rui David
        Convidado

        È verdade que, por lei, os cães não podem andar soltos fora de propriedade privada, a não ser em zonas criadas para o efeito, geralmente pelas camaras municipais. O problema é que essas zonas praticamente não existem nem são prioridade para os municípios. No caso em questão, se apresentar queixa poderá ser multada por ter o seu cão sem trela, mas se se provar que o outro cão atacou o seu, o dono dele terá que pagar as despesas clínicas do seu. Pode apresentar queixa mesmo não conhecendo o tal senhor, será uma queixa contra terceiros, mas num caso como este é pouco provável que as autoridades policiais gastem recursos a tentar identifica-lo; por isso, realmente, se for essa a sua opção, o melhor será tentar identifica-lo primeiro e apresentar uma queixa formal contra essa pessoa.

    • #177183 Responder
      Manuela Cunha
      Convidado

      A minha cadelinha de porte pequeno 5 kg, foi atacada mortalmente pela pela pitbull do meu vizinho, depois de eu o chamar a atenção em ter a cadela pitbull à solta. Quais os procedimentos legais a tomar depois do acontecido? Não me conformo. A pitbull já matou vários gatos de outros vizinhos, mas ninguém apresenta queixa por medo

      .

      • #186226 Responder
        Jose caturra
        Convidado

        queria uma reposta 

A visualizar 5 respostas da conversa
Resposta a: ataque de cão a outro cão
A sua informação





<a href="" title="" rel="" target=""> <blockquote cite=""> <code> <pre class=""> <em> <strong> <del datetime="" cite=""> <ins datetime="" cite=""> <ul> <ol start=""> <li> <img src="" border="" alt="" height="" width="">